Quinta da Bacalhôa, 2013

92 pontos. Um clássico português. Muita fruta, muito equilíbrio, elegante e vibrante. Um belo exemplar mostrando que Portugal também tem espaço para as castas internacionais, como a Cabernet Sauvignon. O preço não é dos mais baratos, mas vale cada centavo quando o evento for especial.

R$168,30 em https://www.zonasul.com.br/Produto/Vinho_Tinto_Portugues_Quinta_da_Bacalhoa_Cabernet_Sauvignon_Garrafa__750_mL_2010_–12986

Falernia Sangiovese 2013

Na última Expovinis, degustei alguns excelentes rótulos da vinícola Falernia. Um dos que mais impressionaram foi o varietal Sangiovese, safra 2013, mas outros rótulos do portfólio também mostram ótimo custo-benefício.

Falernia Sangiovese 2013

93 pontos. Linda cor rubi com muitos reflexos alaranjados. Muito perfumado, frutado. Equilibrado, redondo, aveludado e persistente. Uma bela surpresa pelo preço.

Preço: R$65,00 em Desenrolha (pesquisa realizada em 15/06/2017).

País / Região: Chile / Vale de Elqui

Castas: 100% Sangiovese

Outros rótulos que merecem atenção:

  • Falernia Syrah 2012 (R$65,00 em Desenrolha, pesquisa realizada em 15/06/2017)
  • Falernia Carménère 2015 (R$65,00 em Desenrolha, pesquisa realizada em 15/06/2017)
  • Falernia Cabernet Sauvignon 2014 (R$65,60 em WineBrasil, pesquisa realizada em 15/06/2017)
  • Falernia Pinot Noir 2015 (R$79,90 em Sonoma, pesquisa realizada em 15/06/2017)
  • Falernia Carménère Reserva 2015 (R$110, em WineBrasil, pesquisa realizada em 15/06/2017)
  • Falernia Syrah Reserva 2009 (R$110, em WineBrasil, pesquisa realizada em 15/06/2017)
  • Falernia Pinot Noir Reserva 2013 (R$120, em WineBrasil, pesquisa realizada em 15/06/2017)

 

Mais detalhes:

  • http://falernia.com

 

Conte di Campiano – Primitivo de Manduria e Apassimento

Conte di Campiano Primitivo di ManduriaConte di Campiano Apassimento

Primitivo de Manduria: 92 pontos (sem notas de degustação).

País / Região: Itália / Puglia

Castas: 100% Primitivo

Graduação Alcoólica: 14,5°

Harmonização: pratos bem temperados, carnes vermelhas e queijos curados.

Temperatura de serviço: 18-22°C.

Preço: R$144,33 em Vinhobr (pesquisado em 12/02/2017). No Rio de Janeiro, é encontrado no Supermercado Mundial por R$69,90.

 

Apassimento: 92 pontos. Cor rubi, muito intensa, fechada. Aromas de frutas vermelhas maduras e madeira. Na boca mostra grande equilíbrio e aspecto aveludado. Forte e intenso. Ligeiramente adocicado, justificando o estilo “apassimento” e gerando agradável sensação de prazer na boca. Taninos redondos e maduros. Falta um pouco de potência, apesar do corpo robusto e estruturado.

Preço: R$144,33 em Vinhobr (pesquisado em 12/02/2017). No Rio de Janeiro, é encontrado no Supermercado Mundial por R$69,90.

País / Região: Itália / Puglia

Castas: 100% Negroamaro passito

Graduação Alcoólica: 14°

Harmonização: massas picantes, carnes vermelhas e queijos curados.

Temperatura de serviço: 18-22°C.

 

Mais detalhes:

  • http://www.contedicampiano.it

 

Palo Alto Reserva I 2013

Palo Alto Reserva I 2013

91 pontos (JS93). Aromas de vinho excepcional, perfumados e elegantes, remetendo a frutas vermelhas maduras e violeta. Na boca mostra bom corpo, bom equilíbrio e boa acidez. Ligeiramente curto e com uma pequena pontada de amargor, mostrando taninos e seleção de uvas quase ideais. Com um pouco mais de potência e aveludado, justificaria os 93 pontos de James Suckling.

País / Região: Chile / Vale do Maulle

Castas: 50% Cabernet Sauvignon, 28% Carménère, 22% Syrah

Graduação Alcoólica: 13,5°

Elaboração: envelhecimento por 8 meses em carvalho francês e americano.

Harmonização: queijos envelhecidos, massas e carnes.

Temperatura de serviço: 16°C.

Preço: R$70,22 em Wineface (pesquisa realizada em 19/10/16).

 

Mais detalhes:

  • http://www.paloaltowines.com/en/vinos/reserva-i/
  • http://www.paloaltowines.com/en/assets/uploads/2016/03/res-1-2013-eng.pdf

 

Alceño Premium 50 Barricas Syrah 2012

Alceno Premium 50 Barricas Syrah 2012

93 pontos (RP 92). Que ótima surpresa. Não esperava encontrar tanto prazer nesta garrafa. O aroma de pimenta é tão intenso que você precisa desbrava-lo para identificar outros aromas menos fragrantes, como frutas vermelhas e carvalho. Na boca o sabor é igualmente intenso e mostra estrutura muitíssimo equilibrada. Nada está fora do lugar. Razoavelmente persistente, muito elegante e bem aveludado. Os taninos são sedosos, mostrando que foram cultivados com amor e atenção. O corpo é muito agradável, nem tão simples, nem tão severo. De fato um achado!

País / Região: Espanha / Jumilla

Castas: 90% Syrah, 10% Monastrell

Graduação Alcoólica: 15°

Elaboração: envelhecimento por um curto período em carvalho francês e americano.

Harmonização: carnes assadas na brasa, queijos e embutidos variados, arroz de pato, paella valenciana, perdiz, massas com molho substanciosos.

Temperatura de serviço: 16 a 18°C.

Preço: R$73,95 em Grand Cru (pesquisa realizada em 17/09/16).

 

Mais detalhes:

  • http://alceno.com/en/wines/8-alceno-syrah-premium-50-barricas.html

 

José Maria da Fonseca Ripanço 2013

JMF Ripanço 2013

92 pontos. Taninos redondos e aveludados, mostrando que foram cuidados com carinho. Apresenta típica sensação apoeirada de alguns vinhos portugueses. Equilibrado e volumoso.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Syrah, Aragonês, Alicante Bouschet.

Graduação Alcoólica: 14,5°

Elaboração: fermentação ocorre em cubas de inox a uma temperatura de 28ºC. Envelhecimento por 6 meses em madeira nova de carvalho francês e americano.

Harmonização: carne vermelha e queijos.

Temperatura de serviço: 16 a 18°C.

Preço: R$85,05 em Decanter (pesquisa realizada em 24/08/16).

Mais detalhes:

  • http://www.jmf.pt/index.php?id=378

 

Casa Ferreirinha Esteva Douro 2011

Casa Ferreirinha Esteva Douro 2011

92 pontos. Um dos rótulos de entrada da vinícola Casa Ferreirinha, que não economiza qualidade até mesmo em seu portfólio mais simples. No nariz mostrou um delicioso, jovial e frutado aroma, onde se ressaltaram a cereja e framboesa. Na boca tem equilíbrio e final aveludado, encontrado usualmente apenas em rótulos mais caros. O interessante é que dá para perceber, de forma tímida, porém nitidamente, o que os irmãos mais velhos devem possuir em níveis elevados: potência, robustez e persistência.

País / Região: Portugal / Douro

Castas: Tinta Roriz, Tinta Barroca, Touriga Franca e Tourgia Nacional, em proporções diferentes dependendo da safra.

Graduação Alcoólica: 13°

Elaboração: vinificado essencialmente na Adega da Quinta do Seixo, a partir de uvas provenientes das Quintas do Caêdo, Seixo e Porto, situadas na zona do Pinhão, e ainda de uvas de zonas de maior altitude. Assim se obtém naturalmente o equilíbrio na maturação, desejado para este estilo de vinho com a necessária acidez natural. Os cachos foram vindimados à mão. Após suave desengace e esmagamento, as uvas fermentaram em cubas de aço inox, com suave maceração apoiada por remontagem, sob temperatura controlada a 25° C por forma a preservar os aromas da uva. Depois da maceração, seguiu-se a fermentação maloláctica em condições rigorosamente controladas.

Harmonização: ideal para acompanhar todo tipo de aves, carnes variadas, queijos e alguns peixes.

Temperatura de serviço: 15 a 17°C.

Preço: R$69,99 em Mega Adega (pesquisa realizada em 04/08/16).

Casa Ferreirinha Esteva Douro 2011

Mais detalhes

  • http://www.sograpevinhos.com/marcas/Casa%20Ferreirinha/Casa%20Ferreirinha%20Esteva%20Tinto%202015

 

José Maria da Fonseca Periquita Reserva 2013

José Maria da Fonseca Periquita Reserva 2013

92 pontos. Aromas de frutas vermelhas maduras. Na boca se mostra muito equilibrado, razoavelmente persistente, intensidade e potência tímidas, mas louvável nesta faixa de preço. Final de boca é muito aveludado e sem arestas. Um vinho pronto e com excelente custo-benefício. Um vinho para quebrar paradigmas: não sou grande fã do Periquita, mas saindo do rótulo básico, a coisa fica boa.

País / Região: Portugal / Península de Setúbal

Castas: 54% Castelão, 28% Touriga Nacional, 18% Touriga Francesa

Graduação Alcoólica: 13,6°

Elaboração: fermentação ocorre durante 7 dias a 28ºC, com maceração total. Envelhecimento por 8 meses em madeira nova e usada de carvalho francês e americano.

Harmonização: carnes vermelhas ou queijos.

Temperatura de serviço: 14°C.

Preço: R$54,90 em Super Adega (pesquisa realizada em 02/07/16).

 

Mais detalhes

  • http://www.jmf.pt/index.php?id=65
  • http://www.jmf.pt/pdf/pt/PRV_P.PDF

Radici Taurasi Riserva DOCG 2006

Radici Taurasi Riserva DOCG 2006

92 pontos. Que baita vinho! 30 meses em tonéis de carvalho esloveno, mais 36 meses em garrafa antes de ser lançado ao mercado. Ou seja, um vinho que já nasce velho. A cor corrobora o estilo: rubi médio com reflexos alaranjados. Aromas de frutas do bosque, carvalho, pimenta, baunilha. Na boca, mostra potência, equilíbrio, persistência e acidez na medida para trazer alguma descontração. A estrutura complexa se mistura ao tanino aveludado, gerando uma estrutura fantástica, com sabor de tradição italiana.

País / Região: Itália / Campania

Castas: Aglianico

Elaboração: densidade de 3.500 vinhas/hectare, gerando 4.500 kg/hectare de uvas, a uma taxa de 1,3 kg/vinha. Colheita manual, seguida de clássica vinificação de vinho tinto e longa maceração em temperatura controlada.

Harmonização: queijos duros, trufas, cogumelo porcini, ragout, pratos com molhos com longos períodos de cozimento, carnes vermelhas cozidas e pratos apimentados.

Temperatura de serviço: 18°C.

Preço: R$373,63 em Mistral (pesquisa realizada em 18/06/16).

 

Mais detalhes

  • http://www.mastroberardino.com/en/radici-taurasi-riserva-docg-vino-rosso/
  • https://www.mistral.com.br/produto/radici-taurasi-riserva-docg-2006-mastroberardino-1

 

Miolo Gamay Summertime 2016

Miolo Gamay Summertime 2016

89 pontos. Um “beaujolais nouveau” brasileiro. Feito da mesma uva do festivo francês, também produzido por maceração carbônica, também com rótulo descontraído. Aromas não tão florais como o primo francês, mas percebe-se a violeta, acompanhada de groselha e frutas do bosque em geral. Bem equilibrado e jovial, mas pouco fresco, merecendo maior acidez. Taninos geram certo volume e leve amargor, se mostrando levemente verdes. Leve, mas ainda assim esperava menos corpo. Estrutura comparável a um Pinot Noir americano.

País / Região: Brasil / Campanha Gaúcha

Castas: Gamay

Graduação Alcoólica: 11,5°

Elaboração: enchimento do tanque de aço inoxidável com cachos inteiros e por gravidade; saturação do tanque com neve carbónica; a “primeira fermentação” em maceração carbônica dura 5 a 7 dias; prensagem em prensa pneumática das uvas inteiras após o termino da maceração carbônica; o vinho flor e o vinho prensa fazem juntos a “segunda fermentação” a uma temperatura controlada de 18 a 20°C, em tanque de aço inoxidável; fermentação malolática espontânea; filtração e estabilização tartárica a frio; precoce engarrafamento em meados de Março.

Harmonização: ideal como aperitivo. Este vinho tinto, devido à sua baixa concentração tânica, pode acompanhar, saladas, sopas, peixes, massas de molhos brandos, pizzas, carnes brancas e queijos de massa mole e semidura, com destaque para o emmenthal.

Temperatura de serviço: entre 10 e 12°C.

Preço: R$36,90 em Loja Miolo (pesquisa realizada em 10/06/16).

 

Mais detalhes

  • http://www.miolo.com.br/noticias/graffiti-do-artista-speto-assina-rotulo-do-miolo-gamay-summertime-2016/
  • http://loja.miolo.com.br/produto/vinho-miolo-gamay-safra-2016-750ml-69371

 

Accademia dei Racemi Primitivo di Manduria Dunico 2009

Accademia dei Racemi Primitivo di Manduria Dunico 2009

88 pontos. Cor intensa e aromas de doce de framboesa, tabaco e baunilha. Muito equilibrado e quente, devido ao alto álcool. Intenso na boca, mas de pouca persistência. Um vinho rústico, robusto, caninos marcantes e um ligeiro amargor no final de boca.

País / Região: Itália / Puglia

Castas: 100% Primitivo

Graduação Alcoólica: 15°

Elaboração: idade média do vinhedo de 60 anos, com baixos rendimentos. Colheita das uvas prorrogadas em 1 semana e efetuadas no final de agosto, com seleção de grãos na cantina e posterior prensagem. Fermentação em tanques de aço inox com temperatura controlada. Amadurecimento em grandes tonéis de carvalho da Eslavênia.

Harmonização: Estufado de cordeiro, com ervas, salsinha e ervilhas frescas; Civet de javali com purê de castanhas; Medalhões de avestruz grelhados e servidos com sua deglaçagem com cerejas e mirtilos macerados.

Temperatura de serviço: 18°C

Preço: R$260,20 em Decanter (pesquisa realizada em 10/05/16).

 

Mais detalhes

  • http://www.decanter.com.br/accademia-dei-racemi-primitivo-di-manduria-dunico-2009-750ml/p00057909

 

Amarone Classico Riserva Sergio Zenato DOC 2008

Zenato Amarone della Valpolicella Riserva Classico 2008

92 pontos. Vinhaço! Potente de uma forma sedutora, como uma linda mulher dançando de vestido rodado vermelho. Chama a atenção e tem o mundo a seus pés. A potência já se sente no nariz, lembrando ao fundo o teor alcoólico elevado do Porto. Aromas de ameixa e frutas secas. Encorpado, porém macio e aveludado, a um passo da maciez dos vinhos adocicados.

País / Região: Itália / Veneto

Castas: 80% Corvina, 10% Rondinella, 10% Oseleta

Graduação Alcoólica: 16,5°

Elaboração: produzido apenas em anos excepcionais. As uvas são mantidas em pequenas bandejas, de 3 a 4 meses, sofrendo ressecamento. Sofrem desengano, pré-maceração e prensa em janeiro. A fermentação em contato com as cascas dura de 15 a 20 dias, seguida de envelhecimento em barris de carvalho esloveno de 7.500 litros por 48 meses. O envelhecimento é finalizado com 1 ano em garrafa antes de ser lançado ao mercado.

Harmonização: carnes assadas, carnes de caça, carnes grelhadas e queijos envelhecidos. Perfeito como vinho de meditação.

Amarone Classico Riserva Sergio Zenato DOC 2008

 

Mais detalhes

 

Zorzal Terroir Único Malbec 2013

Zorzal Terroir Único Malbec 2013

91 pontos (92 RP, 92 GD, 92 TIM). Depois de diversas avaliações com pontuações elevadas, a expectativa era grande. Tenho certeza que se fosse uma degustação às cegas, este vinho seria uma ótima surpresa pelo preço que tem. O diferencial dele fica pela ausência da madeira, identificada no nariz e na boca. Lendo sobre o vinho, descobri que a decisão pela ausência de amadurecimento em carvalho se deu para que o terroir e particularidades da Malbec fossem ressaltados. O resultado é interessante, de fato a madeira não faz nenhuma falta e o que se nota são sabores particulares da região de Tupungato, em Mendoza.

País / Região: Argentina / Gualtallary, Tupungato (Mendoza)

Castas: 100% Malbec

Elaboração: vinhedos de 15 anos plantados em Gualtallary, Tupungato, a 1.350 metros acima do nível do mar, com variação térmica de 15 a 18°C entre o dia e a noite. A maceração à frio dura 15 dias para que os aromas e sabores de frutas frescas sejam intensificados. Em seguida, a fermentação ocorre utilizando-se leveduras indígenas, atingindo temperatura máxima de 28°C. Por fim, o amadurecimento é realizado em tanques de concreto.

Harmonização: carne vermelha, massa com molho intenso e linguiça temperada com ervas finas.

Onde comprar: R$83 em Gran Cru (safra 2014, pesquisa realizada em 26/01/2016).

 

Mais detalhes

  • http://www.zorzalwines.com/en/tech_sheets/TERROI_UNIC_MAl.pdf

 

Château Vieux Moulin Les Ailes 2012

Château Vieux Moulin Les Ailes 2012

92 pontos (93RP). Rubi intenso, aromas de frutas vermelhas maduras, leve carvalho, aromas animais (couro, lácteo) e vegetais (aspargos, pimentão verde). Na boca o principal adjetivo que vem à cabeça é expansivo. Volumoso, harmônico e aveludado, mas de uma forma bem europeia, elegante. Nada como os rústicos malbecs argentinos. Boa acidez, mais longo que a média geral. Bom ataque, de forma a sentirmos as frutas pulsante. Taninos redondos, nada de amargor. Provavelmente não filtrado, devido às borras na garrafa.

País / Região: França / Corbières AOC (Languedoc)

Castas: Carignan, Grenache , Mourvèdre

Graduação Alcoólica: 14,5°

Temperatura de serviço: 16 a 18°C

Harmonização: arroz de rabada, ossobuco, pato assado, cassoulet, queijos de massa dura, embutidos.

Onde comprar: R$156 em Grand Cru (pesquisa realizada em 22/01/2016).

 

Mais detalhes

  • http://www.vieuxmoulin.net/epages/70946090-fc41-11de-b83c-000d609a287c.sf/fr_FR/?ObjectPath=/Shops/70946090-fc41-11de-b83c-000d609a287c/Categories/Nos_Cuvees/Les_AOP/Les_Ailes1/Les_Ailes

 

Torreon de Paredes Reserva Privada Cabernet Sauvignon 2008

Torreon de Paredes Reserva Privada Cabernet Sauvignon 2008

87. Aromas de baunilha, carvalho e pimentão verde. Sabor impactante, intenso, porém pouco persistente. Equilibrado, mas sem diferencial ou ainda personalidade.

País / Região: Chile / Rengo (Vale do Alto Cachapoal)

Castas: 90% Cabernet Sauvignon, 10% Merlot

Graduação Alcoólica: 14,5°

Elaboração: amadurecido em barris de carvalho por 12 meses.

Temperatura de serviço: 18°C

Harmonização: carnes vermelhas, carneiro, pombo, foie gras, pato, bacon.

Onde comprar: R$120,82 em Vinho Site (safra 2010, pesquisa realizada em 08/01/2016).

 

Mais detalhes

  • http://www.torreon.cl/english/RP_cs.html
  • http://www.torreon.cl/docs/tsheet/RP_CS08_I.pdf

 

Torreon de Paredes Reserva Privada Syrah 2007

Torreon de Paredes Reserva Privada Syrah 2007

88. Com um pouco de dedicação, identifica-se a pimenta e algumas especiarias tão comum nos syrahs. Ligeiramente amargo no final de boca. Não se encontra nesse aqui a sensualidade e aspecto exótico que outros syrahs apresentem. Pouco elegante apesar do preço.

País / Região: Chile / Rengo (Vale do Alto Cachapoal)

Castas: 85% Syrah, 10% Carménère, 5% Cabernet Sauvignon

Graduação Alcoólica: 13,9°

Elaboração: amadurecido em barris de carvalho por 12 meses.

Temperatura de serviço: 16 a 18°C

Harmonização: pratos a base de curry, cordeiro assado, veado, porco, pombo, frios e queijos como Parmesão, Gouda e Brie.

Onde comprar: R$120,82 em Vinho Site (safra 2012, pesquisa realizada em 07/01/2016).

 

Mais detalhes

  • http://www.torreon.cl/english/RP_sy.html
  • http://www.torreon.cl/docs/tsheet/RP_SY07_I.pdf

 

Torreon de Paredes Reserva Privada Pinot Noir 2012

Torreon de Paredes Reserva Privada Pinot Noir 2012

87. Aromas pouco fragrantes. Acidez marcante, pouco corpo e estrutura. Percebe-se o cuidado na confecção, mas o resultado não alcança expressão diferenciada. Um vinho muito correto, mas com pouca personalidade.

País / Região: Chile / Rengo (Vale do Alto Cachapoal)

Castas: 100% Pinot Noir

Graduação Alcoólica: 14°

Temperatura de serviço: 13 a 18°C

Harmonização: queijo Camembert, porco, frango, carnes vermelhas, vitela e massas com molho de carnes.

 

Mais detalhes

  • http://www.torreon.cl/english/RP_pn.html
  • http://www.torreon.cl/docs/tsheet/RP_PN12_I.pdf

 

Torreon de Paredes Reserva Cabernet Sauvignon 2011

Torreon de Paredes Reserva Cabernet Sauvignon 2011

88. Nítido aroma de levedura e, na sequência, chocolate e o tradicional pimentão verde. Equilibrado, corpo ligeiramente robusto e acidez dando um toque festivo.

País / Região: Chile / Rengo (Vale do Alto Cachapoal)

Castas: 85% Cabernet Sauvignon, 15% Merlot

Graduação Alcoólica: 13,5°

Elaboração: amadurecido em barris de carvalho por 12 meses.

Temperatura de serviço: 18°C

Harmonização: carne vermelha, presunto, bacon, veado, aves de caça, queijo Gruyere.

Onde comprar: R$68,55 em Vinho Site (safra 2012, pesquisa realizada em 06/01/2016).

 

Mais detalhes

  • http://www.torreon.cl/english/Res_cs.html
  • http://www.torreon.cl/docs/tsheet/RES_CS11_I.pdf

 

Torreon de Paredes Reserva Carménère 2012

Torreon de Paredes Reserva Carménère 2012

88. Aromas com intensidade mediana, remetendo a pimenta e framboesa. Equilibrado, corpo médio, acidez pulsante, mas estrutura geral apresentando pouca personalidade. Mais aveludado que o irmão cabernet sauvignon.

País / Região: Chile / Rengo (Vale do Alto Cachapoal)

Castas: 90% Carménère, 10% Cabernet Sauvignon

Graduação Alcoólica: 13,5°

Elaboração: amadurecido em barris de carvalho francês por 6 meses.

Temperatura de serviço: 16 a 18°C

Harmonização: frango, peru, codorna, porco, peixe grelhado e massas.

Onde comprar: R$75,40 em Vinho Site (pesquisa realizada em 05/01/2016).

 

Mais detalhes

  • http://www.torreon.cl/docs/tsheet/RES_CAR12_I.pdf
  • http://www.torreon.cl/english/Res_car.html

 

Torreon de Paredes Cabernet Sauvignon 2012

Torreon de Paredes Cabernet Sauvignon 2012

84. Aromas de frutas do bosque e ameixa. Na boca a acidez desponta, tornando o vinho ligeiramente desequilibrado. O final de boca mostra certo amargor, sinal de taninos ainda a amadurecer.

País / Região: Chile / Rengo (Vale do Alto Cachapoal)

Castas: 100% Cabernet Sauvignon

Graduação Alcoólica: 13,5°

Elaboração: no Vale de Cachapoal, localizado no Vale Central do Chile, encontra-se a cidade de Rego, situada entre montanhas que tornam a região mais árida e fria do que o resto do Vale. As uvas são colhidas no final de março em seu amadurecimento máximo e a fermentação ocorre em tanques de aço inox.

Temperatura de serviço: 16 a 18°C

Harmonização: carne vermelha grelhada, cordeiro, fondue de carne ou queijo.

 

Mais detalhes

  • http://www.torreon.cl/english/VR_cs.html

 

Torreon de Paredes Carménère 2012

Torreon de Paredes Carménère 2012

85. Aromas fragrantes de framboesa, cereja e azeitona preta. Leve, com algumas pontas soltas, pouco corpo e um pouco de amargor no final de boca.

País / Região: Chile / Rengo (Vale do Alto Cachapoal)

Castas: 100% Carménère

Graduação Alcoólica: 13,5°

Temperatura de serviço: 16 a 18°C

Harmonização: carnes brancas, peru, codorna, porco, peixe grelhado e massas.

 

Mais detalhes

  • http://www.torreon.cl/english/VR_car.html

 

Ruffino Tenuta Greppone Mazzi Brunello di Montalcino 2006

Ruffino Tenuta Greppone Mazzi Brunello di Montalcino 2006

91. Usando as palavras do amigo quem trouxe a garrafa para o jantar: “Brunello safado!”. Um pouco longe da opulência dos irmãos, mas ainda assim um Brunello. O prazer já começa no visual: um granada já despontando para o alaranjado. No nariz não mostra muitos aromas marcantes, mas percebe-se a cereja e framboesa. Na boca é muito bem equilibrado, suave e macio, mas sem a sofisticação e potência percebida em outros rótulos.

País / Região: Itália / Brunello di Montalcino DOCG

Castas: Sangiovese Grosso, chamada de Brunello na região de Montalcino

Graduação Alcoólica: 14,5°

Elaboração: apenas as melhores uvas foram colhidas à mão em meados de outubro, através de diversas passagens pelo vinhedo para que os cachos fossem colhidos no estágio perfeito de maturação. A safra de 2006 foi considerada clássica para os padrões da Toscana, produzindo uvas completamente maduras e saudáveis, atingindo a produtividade de 6 toneladas por hectare. A fermentação alcoólica ocorreu durante duas semanas em tanques de aço inox à temperatura controlada de 28-30°C, seguida de maceração das cascas por 10 dias. Após fermentação malolática, o vinho amadureceu em cascos de carvalho de 30-60 hectolitro por 36 meses. Em seguida, o vinho permaneceu em tanques de aço inox por mais 6 meses, foi engarrafado e envelheceu em garrafa por um mínimo de 12 meses antes de ser lançado ao mercado.

Harmonização: queijo Pecorino e Taleggio, costeleta de cordeiro, peito de pato com cogumelos Portobello, massa ao ragu de javali.

Outras avaliações: 91 Pontos, safra 2008 – The Wine Advocate, 93 Pontos, safra 2007 – James Suckling, 93 Pontos, safra 2006 – Wine Spectator.

 

Mais detalhes

  • http://www.ruffino.com/us/OurWines/EstateWines/GrepponeMazzi/index.htm?countryselect=Brazil%7C18&month=5&day=27&year=1980
  • http://www.ruffino.com/cs/groups/public/documents/webcontent/ecm2149887.pdf

 

Il Costone Romagna DOC Sangiovese Superiore 2011

Costone Romagna Sangiovese Superiore 2011

85. Correto e razoavelmente equilibrado, mas sem aquele algo a mais. Estrutura e corpo pouco expressivos, com um leve amargor no retrogosto.

País / Região: Itália / Romagna DOC

Castas: 100% Sangiovese

Graduação Alcoólica: 13,5°

Elaboração: colheita manual realizada no início de setembro, seguida de maceração realizada a 26°C por 25 a 30 dias, fermentação alcoólica e malolática em tanques de inox. Amadurecimento entre 12 e 14 meses em grandes cascos de carvalho esloveno, seguido de refinamento por 2 meses em tanques de inox e, por fim, de 4 a 6 meses em garrafa. Produção anual de cerca de 20.000 garrafas.

Harmonização: pratos italianos típicos, como massas, Fagioli e Galletto alla Cacciatora.

Temperatura de Serviço: 16 a 18°C

 

Mais detalhes

  • http://www.cantinabraschi.com/en/cru/il-costone-romagna-doc-sangiovese-superiore/
  • http://www.cantinabraschi.com/wp-content/uploads/2015/10/BRASCHI_Scheda-ENG-3.7-Il-Costone-Sangiovese-Superiore.pdf

 

Chono Single Vineyard Carménère 2012

Chono Single Vineyard Carmenère 2012

87. Equilibrado e muito correto, transmite bem as características da carménère. Pouco corpo e estrutura, se mostrando uma boa opção para eventos descontraídos. Acompanhou bem um bacalhau com natas.

País / Região: Chile / Colchagua

Castas: Carménère (85%), Syrah (7%) e Petite Syrah (8%)

Graduação Alcoólica: 14,2°

Elaboração: 60% do vinho amadureceu em barricas de carvalho francês e americano durante 12 meses.

Harmonização: mix de queijo e embutidos, penne com molho de linguiça fresca, peito de frango recheado com queijo e presunto, carne de panela com legumes, pizza com queijo.

Temperatura de Serviço: 15°C

 

Mais detalhes

  • www.chonowines.com

 

Vinedo de los Vientos Tannat 2011

Vinedo de los Vientos Tannat 2010

84. Este é o primeiro Tannat aqui do blog. Correto, mas pouco agradável. Foi necessário tomar toda a garrafa para que a criatividade pudesse ser aflorada a ponto de ser possível descrever a sensação de poeira, pó que o vinho transmite na boca. O vinho é filtrado, naturalmente, mas a sensação de pó na língua é nítida. Foi um começo com pé esquerdo, mas a pesquisa continuará até que a correta e digna descrição dos vinhos feitos com esta uva “uruguaia” possa ser feita.

País / Região: Uruguai / Atlántida, Canelones

Castas: Tannat

Graduação Alcoólica: 13,5°

Elaboração: as uvas, colhidas maduras, sofreram maceração à frio por cinco dias à temperatura de 6°C para que os sabores frutados pudessem ser extraídos, seguida de fermentação à 26°C por sete dias com remontagem diária. 30% do vinho foi então amadurecido por três meses em barris novos de carvalho francês enquanto que os 70% restantes foram mantido em tanques de aço inox.

Temperatura de Serviço: 18°C

 

Mais detalhes

  • http://www.vinedodelosvientos.com/web/images/wines/tannat-big.jpg

Santa Ema Cabernet Sauvignon 2012

Santa Ema Cabernet Sauvignon 2012

90. Aromas de frutas negras, ameixa preta, pimentão verde, azeitona verde e eucalipto. Na boca mostra de cara um aveludado notável, raramente encontrado em vinhos nesta faixa de preço. O vinho preenche a boca com boa expressão, sem marcas demasiadas. Possui um bom equilíbrio, com caninos bem cuidados. Não estão em seu potencial máximo mas, por este preço, são taninos invejáveis. A acidez confere um bom frescor, em linha com a estrutura geral. O final de boca é curto, mas o ataque e volume na boca compensa bastante a falta de persistência.

País / Região: Chile / Valle del Maipo

Castas: Cabernet Sauvignon

Graduação Alcoólica: 13,5°

Elaboração: uvas colhidas a mão durante a primeira quinzena de abril. Fermentação em tanques de aço inox por 7 dias a 28°C, acompanhada de maceração pós-fermentação de 3 dias. Após fermentação malolática, uma parte do vinho foi envelhecido em tanques de inox enquanto outra parte em barris de carvalho durante 4 a 6 meses. Rendimento do vinhedo de 10t/ha.

Temperatura de serviço: 18°C

Harmonização: carnes vermelhas, pratos condimentados, cozidos e queijos.

 

Mais detalhes em:

  • http://santaema.cl/os-vinhos/select-terroir/select-terroir-cabernet-sauvignon/?lang=pt-pt
  • http://santaema.cl/wp-content/files_mf/1428439053SELECTTERROIRCABERNETSAUVIGNON2014ESP.pdf

 

Roquevale Reserva 2006

Roquedal Reserva 2006

92. Apimentado, sensual, com forte presença de outras especiarias. Muito equilibrado, com grande corpo e persistência. Merece cada ponto.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Tinta Caiada, Alicante Bouschet e Touriga Nacional

Elaboração: as uvas, cuidadosamente selecionadas, sofrem maceração e são vinificadas em cubas de aço inox, com remontagem automática e controle de temperatura de fermentação a 28- 30oC. A fermentação ocorre, pela adição de leveduras selecionadas, durante cerca de cinco a sete dias seguindo-se um período durante o qual ocorre a fermentação maloláctica, para estabilização do vinho. O lote estagiou 12 meses em barricas de carvalho francês. Para preservar o seu carácter, não foi sujeito a estabilização pelo frio, pelo que podem aparecer sedimentos naturais.

Harmonização: cabrito assado, vaca de confecção assada ou grelhada, borrego assado no forno, pratos de caça de pêlo, doces conventuais, queijos de pasta dura e paladar forte: Castelo Branco picante, da Ilha, Roquefort ou Gruyére.

 

Mais detalhes em:

  • http://www.roquevale.pt/v_roquevalereserva_tinto.htm
  • http://www.roquevale.pt/download_fichas_tecnicas/ft_roquevale_reserva_tinto.pdf

 

Tinto da Talha Grande Escolha 2009

Tinto da Talha Grande Escolha 2009

90. Bem equilibrado, mas com um leve toque amargo no final de boca. Se tivesse um pouco mais de complexidade seria um baita vinho. Prima mais pela harmonia do que pela sofisticação.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Touriga Nacional e Alicante Bouschet

Elaboração: para estabilização do vinho induziu-se a fermentação maloláctica que ocorreu em barricas de 225 litros de carvalho novo, francês e americano. As uvas da casta Touriga Nacional fermentaram em cuba de aço inox, com controlo de temperatura a 28-30ºC, durante 5 dias. O vinho permaneceu com as massas em “cuvaison”, a 20-24ºC, durante aproximadamente um mês, período durante o qual acabou por fazer a fermentação maloláctica. Estagiou então durante 3 meses em barricas de carvalho novo, francês e americano.

Harmonização: enchidos assados, cabidelas, assado de borrego, pézinhos de porco de coentrada, migas de pão, batata ou espargos com carne de porco frita, pratos de sabor forte, queijos de Serpa, da Serra ou Azeitão, amanteigados.

 

Mais detalhes em:

  • http://www.roquevale.pt/v_tintotalhage_tinto.htm
  • http://www.roquevale.pt/download_fichas_tecnicas/ft_tinto_talha_ge.pdf