Grande Renaissance Sauternes 2010

Château La Renaissance Grand Renaissance Sauternes 2010

89. Como já esperado, nota-se grande sofisticação, maior elegância quando comparado aos late harvest sul-americanos. Razoavelmente equilibrado, mas se beneficiaria de um pouco mais de acidez. No nariz, os tradicionais abacaxi, maracujá e mel.

País / Região: França / Sauternes

Castas: Sémillon (69%), Sauvignon Blanc (28%) e Muscadelle (3%)

Graduação Alcoólica: 13,5°

Elaboração: amadurecimento de 8 a 10 meses em barricas de carvalho.

Harmonização: frutas secas e queijo azul, como roquefort e gorgonzola.

 

Moët & Chandon Champagne Impérial Rosé

Moët & Chandon Champagne Impérial Rosé

Moët & Chandon Champagne Impérial Rosé

89. Similar ao Brut, mas com uma pouco mais de estrutura. Como todo Champagne, nada de pontas soltas. Interessantíssimo perceber os taninos, bem de leve e muito redondo. Ligeiramente mais amargo que o Brut, mas de forma alguma compromete a elegância.

 

Mais detalhes em:

http://www.moet.com/Our-Champagnes/Rose-Imperial

http://www.vivino.com/wineries/moet-and-chandon/wines/brut-champagne-ros-imprial-8888

Baron Philippe De Rothschild La Bélière Bordeaux 2012

Baron Philippe De Rothschild La Bélière Bordeaux 2012

84. Aroma marcante de maracujá, com toques de abacaxi e maçã verde. Cor palha bem clara, mostrando sua juventude. Na boca, a percepção se confirma: estrutura bem simples, apesar de bem correto e equilibrado. Um vinho bem simples, descompromissado e bem frutado. Degustei-o em um dia bem quente, optando portanto por servi-lo gelado. Resultado: eu e minha esposa matamos a garrafa sem sentir.