Domaine Bott-Geyl Métiss 2015 (Alsácia)

89 pontos. Um alsaciano por menos de R$100. Uma excelente opção para agradar aos jovens apreciadores que, independente da idade, estão descobrindo o mundo do vinho. O açúcar residual torna-o acessível e descontraído, ótimo para os paladares que ainda se acostumam com a bebida. Falta um pouco de complexidade, mas acho que isso não será importante para o público-alvo do rótulo.

R$88 em http://www.delacroixvinhos.com.br/alsace-metiss-2015.html

SA Prum Riesling Solitär Trocken 2013

SA Prum Riesling Solitär Trocken 2013

94 pontos. Levemente frutado no nariz, mostrando frutas cítricas e notas florais remetendo a margaridas. Na boca é uma explosão de sabores. Uma relação corpo-intensidade ímpar. A estrutura é leve, diminuta, mas gera um ataque e sabores marcantes. Alinha jovialidade, frescor e potência. Um vinho surpreendente.

País / Região: Alemanha / Mosel

Castas: Riesling

Graduação Alcoólica: 11°

Elaboração: solos de ardósia, que permitem produzir um vinho da casta Riesling bastante frutado e mineral. Colheita manual, seleção manual cuidadosa de cachos, desengaço, maceração a fio por algumas horas, prensagem delicada, fermentação lenta em baixa temperatura para garantir a integridade dos sutis aromas e sabores da Riesling.

Harmonização: peixes delicados, frutos do mar (camarão e lula), schnitzel (carne sem osso, fina e batida, empanadas de porco, vitela, cordeiro, frango, vaca ou peru), massas com frutos do mar.

Temperatura de serviço: 9 a 11°C

Onde comprar: R$186,50 em Vindame (pesquisa realizada em 21/04/2016).

 

Mais detalhes

  • http://vindame.com.br/produto/solitar-2013/
  • http://www.sapruem.com

 

Grans Fassian Trittenheimer Apotheke Auslese Riesling 2009

grans fassian trittenheimer apotheke auslese riesling 2009

92. Que sofisticação! Um vinho de sobremesa com doçura elegante e gentis pontadas de acidez. É coisa de louco perceber como as duas dimensões vão se combinando com extrema harmonia, sem que uma marque presença de forma a sobrescrever a outra. A cor é de um lindo dourado claro e no nariz nota-se aromas cítricos, abacaxi, mel e querosene.

País / Região: Alemanha / Mosel

Castas: Riesling

Graduação Alcoólica: 

Elaboração: colheita manual seletiva de uvas muito maduras em meados de outubro. Vinhedos trabalhados com baixa produtividade de 40hl/ha. Fermentação lenta em tanques de inox com temperaturas controladas entre 12 e 15ºC, por mais de 8 semanas.

Harmonização: perfeito aperitivo para o final de tarde num jardim. Excelente com uma seleção de queijos de massa mole com crosta lavada (munster, pont-l’évêque, livarot, époisses etc.), massa prensada (reblochon) e queijos azuis menos pungentes. Sobremesas à base de frutas assadas: torta de maçã aromatizada com zestes de limão.

Temperatura de Serviço: 1o°C

Preço: R$255,02 (safra 2010, Decanter, em 15/11/2015)

 

Mais detalhes

  • http://www.grans-fassian.de/en/weine/2011-trittenheimer-apotheke-riesling-auslese/
  • http://www.decanter.com.br/grans-fassian-riesling-auslese-trittenheimer-apotheke-2010-750ml/p00103210

 

Reichsrat von Buhl Forster Jesuitengarten Riesling Spätlese 2009

Reichsrat von buhl forster jesuitengarten riesling spätlese 2009

90. Vinho de sobremesa, super delicado, sofisticado e com doçura média. No visual, palha escuro. No nariz mostra mel bem delicado. Na boca a doçura é suave como a doçura de uma gelatina. Muito equilibrado e elegante. A acidez é presente, porém fina e discreta. É de fato um vinho bem diferente, algo entre um vinho seco e um late harvest. Mesmo depois da temperatura ter se elevado, manteve uma ótima suavidade e harmonia.

País / Região: Alemanha / Pfalz (sub-região Forster)

Castas: Riesling

Graduação Alcoólica: 10,5°

Elaboração: vinhedos cultivados em linhas orgânicas, em processo de certificação. Não são usados herbicidas ou pesticidas, todo controle de pragas e correções no solo é feito de forma natural. Colheita seletiva e manual de cachos no ótimo estado de amadurecimento, em pequenas cestas de 15 quilos na terceira semana de outubro. Prensagem pneumática delicada. Limpeza natural por decantação. Rendimento final de 30 hl/ha. Fermentação em tanques de inox termo-controlados. Não há filtração. Uma única trasfega é realizada até o engarrafamento no final de abril de 2010.

Harmonização: salada com foie gras e lagostins salteados; coxinhas da asa de pato glaceadas em mel de laranjeira e gengibre, assadas ao forno; tartar de cogumelos trufados; escalopinhos suínos, servidos com espaguete de legumes ao molho de soja; peixe à moda de Bali (frito em azeite bem quente, servido ao molho picante).

Temperatura de Serviço: 12°C

Preço: R$192,50 (Decanter, em 15/11/2015)

 

Mais detalhes

  • http://www.von-buhl.de/shop/2012-jesuitengarten-spaetlese.html
  • http://www.decanter.com.br/von-buhl-forster-jesuitengarten-riesling-spatlese-2009-750ml/p00167509

 

Künstler Hochheim Hölle Erstes Gewächs 2009

künstler hochheim hölle erstes gewächs 2009

91. Cor dourada clara, linda. Aromas de mel, abacaxi e querosene. Na boca mostra uma bela suavidade, com sabores em diferentes camadas. Muito equilibrado, robusto, macio, encorpado, elegante e sofisticado. O elevado açúcar residual dá ao vinho a sensação identificada em vinhos de sobremesa: muita maciez e volume.

País / Região: Alemanha / Rheingau – Hochheim

Castas: Riesling

Caracteristicas Climáticas: clima mediterrâneo diretamente influenciado pelas montanhas Taunus, que conferem proteção aos frios ventos vindos do norte. Cortado pelo paralelo 50°, a exposião dos vinhedos e a proximidade com os rios Main e Reno, são fundamentais para o amadurecimento das uvas.

Caracteristicas do Solo: solos predominantemente de argila pesada.

Elaboração: colheita das uvas no ponto ótimo de maturidade, em videiras com 30 anos de idade média. Vinhedos com moderados rendimentos de 45 hl/ha. Fermentação lenta em tanques de inox com temperatura controlada a 18°C. Após esse processo o vinho permanece sobre as lias de 4-6 semanas antes de ser engarrafado.

Harmonização: Salmão defumado ao creme de raiz forte; Linguado grelhado, deglaçado com vinho riesling e finalizado com trufas brancas; Lagostins à tailandesa; Perfeito acompanhando cum caviar ostra.

Künstler Hochheim Hölle Erstes Gewächs 2009 Mapa

 

Mais detalhes em:

  • http://www.weingut-kuenstler.de/en/vineyard-sites/hochheim/hoelle.html
  • http://www.decanter.com.br/franz-kunstler-riesling-erstes-gewachs-holle-trocken-2009-750ml/p00103709

 

Paul Blanck Alsace Grand Cru Schlossberg Riesling 2006

Paul Blanck Alsace Grand Cru Schlossberg Riesling 2006

90. Aula sobre vinho se faz na prática. Presenciei algo interessante com este aqui: o que faz um vinho ser doce não é apenas a quantidade de açúcar residual, mas também a relação com a acidez. Neste Riesling, nota-se facilmente a maciez proveniente de uma elevada quantidade de açúcar residual, mas a acidez é igualmente elevada, gerando um vinho de fato seco.

País / Região: França / Alsace

Castas: Riesling

Elaboração: o suco das uvas é extraído com infinito cuidado nas prensas pneumáticas. A prensa lenta e gentil evita a quebra do engaço e semente. O mostro começa a fermentação a partir de suas próprias leveduras naturais e perdura por 4 a 10 semanas. Ela ocorre em tanques de aço inox equipados com controle de temperatura de forma a maximizar a expressão dos aromas da casta. O vinho é então amadurecido em suas borras em grandes barris por 12 meses. O contato com as borras contribui para o enriquecimento do vinho. O oxigênio que passa pelos poros da madeira cria uma oxidação gentil e a consequente abertura dos aromas. O vinho é então engarrafado e envelhece por 2 ou 3 anos mais antes de ser comercializado. Este envelhecimento em garrafa também possui um papel importante no desenvolvimento do vinho quando uma reação oposta à oxigenação acontece: graças a algumas reações ocorridas no ambiente livre de oxigênio o buquê se desenvolve e assume nuances sutís.

Harmonização: scallops, salmão defumado, ostras.

 

Mais detalhes em:

  • http://www.blanck.com/en/Our-Wines/grand-cru-french-wine-alsace/vin-d-alsace-alsace-riesling-schlossberg-1186.html

 

Chateau Ste. Michelle Eroica Riesling 2011

Chateau Ste. Michelle Eroica Riesling 2011

92. Nem uma corrida de turfe seria mais acirrada do que a briga entre a maciez e a acidez nesse Riesling. Que sensação impressionante sentir a suavidade e a maciez do açúcar e logo em seguida as pontadas ácidas, e depois a maciez novamente, e depois a acidez… No nariz mostrou pêssego e minerais em um aroma pouco intenso. Na boca tem um bom corpo, uma estrutura muito bem elaborada, acidez fina e elegante. Equilibradíssimo, nenhum amargor na garganta. Sabor persistente e intenso. Um vinho realmente marcante!

País / Região: EUA / Washington state

Eroica é fruto da joint venture da famosa vinícola alemã Dr. Loosen e do Chateau Ste. Michelle, que possui sua história ligada ao estado de Washington desde 1912. Um vinho fruto da mescla do velho com o novo mundo.

Castas: Riesling

Graduação Alcoólica: 11°

Elaboração: para proteger a intensidade do sabor, as uvas foram colhidas a noite quando a temperatura no vinhedo é mais amena. As uvas foram levadas diretamente para a prensa, evitando assim a possível perda de frescor devido a uma maceração antecipada. Uma fermentação fria foi responsável por criar a integração da fruta, açúcar e acidez. Leveduras orientadas a potencializar o sabor frutado foram utilizadas, assim como uma fermentação lenta. Ernst Loosen e Bob Bertheau buscam as uvas para produzir o Eroica de dezenas de pequenos vinhedos, cada um com suas pequenas diferenças e características, resultando na complexidade encontrada no corte final.

Harmonização: pratos asiáticos, cozinha indiana, carangueijo e scallops.

 

Mais detalhes em:

  • https://www.ste-michelle.com/our-wines/2011-eroica-riesling
  • https://www.ste-michelle.com/files/FileResource/10608/ERO_FS_11_Eroica.pdf

 

Kilikanoon Mort’s Block Riesling 2011

Kilikanoon Morts Block Riesling 2011

87. Lá na Austrália, ele deve fazer a alegria da mulherada. Bem clarinho, cor palha clara com reflexos esverdeados. No nariz mostra limão (aos montes), maracujá, toque mineral e uma refrescância que já antecede o que encontraremos na boca. Lá, percebe-se uma acidez vibrante. A refrescância agora aparece com tudo. Muito jovial, com sabor razoavelmente persistente, pouca complexidade e estrutura.

País / Região: Australia / Clare Valley

Castas: Riesling

Graduação Alcoólica: 12,5°

Elaboração: uvas cuidadosamente selecionadas e mescladas oriundas de três vinhedos localizados a apenas alguns minutos da vinícola Kilikanoon. Esta proximidade permite que as uvas, colhidas manualmente, sejam processada rapidamente, buscando-se o sabor intenso e frescor da casta Riesling.

Harmonização: frutos do mar frescos, scallops com limão fresco e ostras naturais.

 

Mais detalhes em:

  • http://www.kilikanoon.com.au/index.php?option=com_platfform&view=crm&task=crm.downloadDocumentVersion&document_version_id=9258&Itemid=156

 

Luigi Bosca Las Compuertas Riesling 2007

Luigi Bosca Las Compuertas Riesling 2007

85. Circunstância é tudo. Como já dizia Einstein, tudo é relativo. Depois de uma degustação de seis fantásticos Riesling, este aqui teve suas imperfeições ressaltadas. Gosto metálico, bastante desequilibrado entre a acidez e açúcar. Poucos aromas e final de boca um pouco amargo. Se tiver a oportunidade, provo ele novamente sozinho, sem a interferência de outros gigantes.

País / Região: Argentina / Mendoza (Las Compuertas)

Castas: Riesling

Graduação Alcoólica: 13,1°

Elaboração: a produção é de menos de 6.000 kg por hectare, o equivalente a 1.000 gramas por planta, e 0,9 plantas são necessárias por garrafa. As uvas são colhidas manualmente em caixas de 18 a 20 kg, é realizada uma seleção de cachos, depois eles passam para o desengace e posteriormente para uma seleção de grãos. As bagas são prensadas suavemente em uma prensa pneumática e passam para desborre a frio durante 36 horas. Depois, o mosto é acumulado e fermentado com leveduras selecionadas em cubas de aço inoxidável a uma temperatura de 14° C. Após a fermentação, o vinho é mantido em contato com suas borras por aproximadamente 60 dias (não se realiza fermentação malolática). Mais tarde é estabilizado, filtrado e engarrafado. Antes de ser lançado ao mercado, é conservado pelo menos 6 meses em câmara de frio. O vinho não é envelhecido em barris de carvalho.

Temperatura de serviço: entre 8°C e 11°C

Harmonização: por sua estrutura e untuosidade, vai muito bem com peixes gordos e carnes brancas de sabores simples e com molhos não muito complexos.

 

Mais detalhes em:

  • http://luigibosca.com.ar/pt/colecciones/vinos-de-terroir/luigi-bosca-riesling-las-compuertas/
  • http://luigibosca.com.ar/wp-content/uploads/terroir_riesling_port_72dpi.pdf

 

Casa Marin Miramar Riesling 2009

Casa Marin Miramar Riesling 2009

90. Muito bom vinho. Notas de parafina no nariz. Na boca é muito bem equilibrado e fresco. Só que perde pro irmão Sauvignon Blanc, que parece ser a prata da casa.

 

Mais detalhes em:

http://www.casamarin.cl/our-wines/casa-marin/riesling/

http://www.vivino.com/wineries/casa-marin/wines/miramar-vineyard-riesling-2009