La Chablisienne Chablis La Sereine 2011

La Chablisienne Chablis La Sereine 2011

87 pontos. Esperava mais, dada a fama deste branco francês. A boa notícia é que ainda existe toda a colina de qualidade da denominação para surpreender: Premier Cru e Grand Cru. Os aromas deste aqui são dispersos, com bastante atenção se identifica  a manteiga e querosene, típicos da chardonnay. Não identifiquei a tão falada mineralidade, mas faço mea-culpa… o problema de fato está no degustador. Na boca mostra pouca expressão, apesar de ser bem correto e equilibrado.

País / Região: França / Chablis AOC

Castas: 100% Chardonnay

Graduação Alcoólica: 12,5°

Elaboração: vinhas com idade média de 20 anos. Resfriamento das uvas antes da fermentação. Tanto a fermentação alcoólica quanto a malolática acontecem em tanques de inox. O amadurecimento acontece por um ano sob finas borras, tanto nos tanques quanto em barris de carvalho.

Temperatura de serviço: 10 a 12°C

Harmonização: peixe grelhado.

Onde comprar: R$165,99 em Todo Vino (safra 2010, pesquisa realizada em 12/01/2016).

 

Mais detalhes

  • http://lachablisienne.net/catalogue_us/front_pro.php?rubrique=10&page=2
  • http://www.lachablisienne.net/fiches/admin/fiche_209_en.pdf

 

Torreon de Paredes Chardonnay Reserva 2012

Torreon de Paredes Chardonay Reserva 2012

87. Cor palha médio, aromas de mel, manteiga querosene e carvalho. Na boca é amadeirado e razoavelmente equilibrado, com a acidez despontando um pouco. Pouco corpo e estrutura, com a personalidade mais presente nos aromas do que na boca.

País / Região: Chile / Rengo (Vale do Alto Cachapoal)

Castas: 100% Chardonnay

Graduação Alcoólica: 13,5°

Elaboração: fermentado e amadurecido em barris de carvalho francês.

Temperatura de serviço: 10 a 12°C

Harmonização: salmão, marisco, vitela, codorna e massas com molho branco.

Onde comprar: R$96,51 em D.O.C.G.

 

Mais detalhes

  • http://www.torreon.cl/english/Res_ch.html

 

Quinta da Alorna Reserva Arinto Chardonnay 2013

Quinta da Alorna Reserva Arinto Chardonnay 2013

89. Todos os brancos possuem seu lugar no meu coração, mas não é à toa que a chardonnay é dita como a rainha dos brancos. Que elegância, personalidade e estrutura. Esse vinho aqui me mostrou como a uva é fantástica. Em um corte com arinto, ela desponta e mostra suas característica. Funcionou como uma banda, onde a arinto faz a cozinha (bateria e baixo) e a chardonnay se transforma em um Jimi Hendrix. No nariz, pêssego e carvalho, na boca, uma pitada de acidez tira alguns pontos.

Região / País: Tejo / Portugal

Castas: Arinto, Chardonnay.

Graduação Alcoólica: 13%

Elaboração: as uvas de vindima manual são prensadas e os respectivos mostos clarificados separadamente a baixa temperatura. A Arinto fermenta em cubas inox a 15ºC e a Chardonnay fermenta em barricas novas de carvalho francês, estagiando sobre as borras finas durante 3 meses. Após o lote final, o vinho é estabilizado pelo frio e filtrado antes do engarrafamento. Produção de 29.000 garrafas.

Serviço: 12ºC.

Harmonização: pratos de peixe e bacalhau com natas ou bechamel, queijos amanteigados.

 

Mais detalhes em:

  • http://alorna.pt/Vinhos/Quinta-da-Alorna/Quinta-da-Alorna-Reserva-Branco-2014
  • http://alorna.pt/documents/quinta_alorna_54d0f8e19b958.pdf
  • http://www.vivino.com/wineries/quinta-da-alorna-20387/wines/reserva-arinto-chardonnay-2013

 

Pierre André Corton-Charlemagne Grand Cru Borgonha 2010

Pierre Andre Corton-Charlemagne Grand Cru Borgonha 2010

94. Uma obra prima branca! Exemplar fantástico da Borgonha. Consegue superar com folga os já belos e elegantes brancos mais acessíveis. A estrutura é belíssima, reunindo equilíbrio, robustez, potência e persistência.

 

Mais detalhes em:

http://www.pierre-andre.com/en/index.php#/FicheMillesime?idMillesime=463

Clique para acessar o corton-charlemagne-2011.pdf

http://www.vivino.com/wineries/chateau-de-corton-andre/wines/2871466-corton-charlemagne-grand-cru-2010

Comte De Moucheron Meursault 1er Cru 2007 (Borgonha)

Comte De Moucheron Meursault 1er Cru 2007 (Borgonha)

92. Amarelo palha médio. Aroma potente e elegante. Estrutura igualmente elegante, muito equilibrado, combinando a robustez do chardonnay americano com a sofisticação do borgonhês. No fundo, nota-se um pouco de defumado muito agradável.

 

Mais detalhes em:

http://www.marcheauxvins.com/fr/meursault/667-meursault-1er-cru-2007-comte-de-moucheron.html

http://www.vivino.com/wineries/comte-de-moucheron-148154/wines/meursault-1er-cru-2007

Comte De Moucheron Bourgogne Chardonnay 2011

Comte De Moucheron Bourgogne Chardonnay 2011 (Borgonha)

91. Aromas mais similares ao chardonnay americano, onde nota-se com mais facilidade o floral e frutado. Na boca, as semelhanças com os rótulos americanos se ressaltam: adocicado e estruturado. Um Borgonha feito para o paladar do novo mundo.

 

Mais detalhes em:

http://www.marcheauxvins.com/en/bourgogne/754-bourgogne-blanc-2011-comte-de-moucheron.html

http://www.vivino.com/wineries/comte-de-moucheron-148154/wines/bourgogne-chardonnay-2011

Olivier Leflaive Chassagne-Montrachet Clos Saint Marc 1er Cru Borgonha 2010

Olivier Leflaive Chassagne-Montrachet Clos Saint Marc 1er Cru Borgonha 2010

91. Acidez muito agradável, estrutura e corpo elegantes. Muito sofisticado e com final redondo.

 

Mais detalhes em:

http://lesvins.olivier-leflaive.com/en-GB/wines/cote-de-beaune/1st-crus/chassagne-montrachet-1er-cru-clos-saint-marc-2010/b/recolte-du-domaine

http://www.vivino.com/wineries/olivier-leflaive/wines/chassagne-montrachet-clos-saint-marc-1er-cru-2010

Olivier Leflaive Montagny 1er Cru Borgonha 2010

Olivier Leflaive Montagny 1er Cru Borgonha 2010

89. Pontada de sabor na boca, mas possui pouca estrutura e complexidade, tanto nos aromas quanto no corpo. Me arrisco a dizer que os Sauvignon Blanc da América do Sul ombreiam com ele e acabam ganhando no quesito preço. Quando comparados aos nossos Chardonnays, ganhamos em corpo e estrutura. Não que os borgonheses sejam piores, temos apenas um paladar diferente para apreciar toda a delicadeza deles.

 

Mais detalhes em:

http://lesvins.olivier-leflaive.com/en-GB/wines/cote-chalonnaise/1st-crus/montagny-1er-cru-2010/b

http://www.vivino.com/wineries/olivier-leflaive/wines/montagny-1er-cru-2010

 

Olivier Leflaive Saint-Romain Sous Le Château Borgonha 2012

Olivier Leflaive Saint-Romain Sous Le Chateau Borgonha 2012

89. Muitíssimo arredondado, fácil de beber. Sem muitos aromas agradáveis, tão característicos nos brancos, mas ainda assim um belo vinho. Deve chegar com preço alto no Brasil (qualquer coisa acima de R$100), o que torna ele uma opção cara pro que entrega.

 

Mais detalhes em:

http://lesvins.olivier-leflaive.com/en-GB/wines/cote-de-beaune/villages/saint-romain-sous-le-chateau-2011/b (safra 2011)

http://www.vivino.com/wineries/olivier-leflaive/wines/saint-romain-sous-le-chateau-2012

Olivier Leflaive Oncle Vincent Borgonha 2012

Olivier Leflaive Oncle Vincent Borgonha 2012

90. Mais robusto que outros Borgonhas na mesma faixa, mas simples comparado aos chardonnays sul-americanos. Nota-se o carvalho tanto no aroma quanto no retrogosto. Apesar de possuir estrutura mais frágil, ainda assim é muito equilibrado e redondo.

 

Mais detalhes em:

http://lesvins.olivier-leflaive.com/en-GB/wines/regional/bourgogne-blanc-cuvee-oncle-vincent-2012/b/negoce

http://www.vivino.com/wineries/olivier-leflaive/wines/oncle-vincent-bourgogne-2012

Olivier Leflaive Les Setilles Borgonha 2012

Olivier Leflaive Les Setilles Borgonha

91. Fresco, frutado, delicado, sutil e elegante.

 

Mais detalhes em:

http://lesvins.olivier-leflaive.com/en-GB/wines/regional/bourgogne-les-setilles-2012/b

http://www.vivino.com/wineries/olivier-leflaive/wines/les-setilles-bourgogne-2012

Domaine Michel Gros Hautes Côtes De Nuits Blanc Borgonha 2011

Domaine Michel Gros Hautes Côtes De Nuits Borgonha 2011

91. Belíssima propriedade, não no sentido de instalações, mas historicamente falando. O avô do Sr. Michel Gros fundou a casa e depois repartiu-a entre os filhos e sobrinhos. Hoje, Michel Gros faz vinhos belíssimos e ainda a preços mais modestos do que alguns vizinhos. Esse branco é potente e desde o aroma já se nota a elegância e sofisticação. Longo e persistente possui certa mineralidade e acidez brilhante.

 

Mais detalhes em:

http://www.domaine-michel-gros.com/eng/hautes-cotes-blanc.html

http://www.vivino.com/wineries/domaine-michel-gros/wines/hautes-ctes-de-nuits-bourgogne-2011

Albert Bichot Chablis Moutonne Grand Cru 2007

Albert Bichot Moutonne Grand Cru Chablis

91. Muito sofisticado e elegante. Corpo e estrutura respeitáveis para um Chablis. Potência sem arrogância e nenhuma farpa solta. Notável como evolui bem ao longo dos anos e se torna cada vez mais elegante.

 

Mais detalhes em:

http://www.bourgogne-bichot.com/en/nos-vins

http://extranet.bourgogne-bichot.com/technique.php?id=15201&en=1

http://www.vivino.com/wineries/albert-bichot/wines/moutonne-domaine-long-depaquit-chablis-grand-cru-2007

 

Albert Bichot Chablis Premier Cru Les Vaillons 2012

Albert Bichot Chablis Premier Cru Les Vaillons 2012

90. Nota-se facilmente o corpo mais avantajado e estrutura mais robusta do que Chablis mais simples. Naturalmente a diferença é sutil, mas facilmente perceptível. Nota-se também o uso do carvalho, gerando um final arredondado. Razoavelmente persistente e muitíssimo equilibrado.

 

Mais detalhes em:

http://www.bourgogne-bichot.com/en/nos-vins

http://www.vivino.com/wineries/albert-bichot/wines/domaine-long-depaquit-les-vaillons-chablis-premier-cru-2012

 

Albert Bichot Chablis 2012

Albert Bichot Chablis 2012

88. Pouco frutado, descomplicado, despretensioso, mineralidade presente de forma sutil. Menos complexo, robusto ou aromático do que exemplares sul-americanos mais baratos. Vinhos como os Chablis ou os Borgonha deixam claro como nosso paladar brasileiro está acostumado a um estilo bem peculiar: vinhos estruturados e aromáticos, como os produzidos nas regiões quentes da América do Sul. Por este motivo, é fácil deixar a elegância e sofisticação destes franceses passarem despercebido.

 

Mais detalhes em:

http://www.bourgogne-bichot.com/en/nos-vins

http://www.vivino.com/wineries/albert-bichot/wines/2314011-chablis-2012

 

Albert Bichot Petit Chablis 2013

Albert Bichot Petit Chablis

87. Floral, frutado, fresco, muito equilibrado, mas demasiado simples comparado aos brancos sul-americanos. Estrutura e aromas simples, descompromissado e efêmero. Adequado para momentos onde a gastronomia não está em foco.

 

Mais detalhes em:

http://www.bourgogne-bichot.com/en/nos-vins

http://www.vivino.com/wineries/albert-bichot/wines/3575912-petit-chablis-2013

 

 

Veuve Clicquot Champagne Brut

Veuve Clicquot Champagne Brut

89. Elegante, relativamente persistente, nada de amargor, perlage muito fina. Aroma de brioche pulsante. Fruto de uma bela história, onde a “Grand Dame” se tornou personalidade marcante e crucial no mundo dos champagnes. Para os curiosos, vale procurar saber mais sobre a história dessa casa e ícone dos vinhos.

 

Mais detalhes em:

http://www.veuve-clicquot.com/pt/champagne/yellow-label

http://www.vivino.com/wineries/veuve-clicquot/wines/ponsardin-champagne-brut-8888

 

Veuve Clicquot Champagne La Grande Dame Brut 2004

Veuve Clicquot Champagne La Grande Dame Brut 2004

94. Amarelo palha brilhante, tal como um vinho branco. Aroma intenso de pão/brioche. Estrutura consideravelmente mais robusta que outros champagnes mais simples. Corpo aveludado, podendo se notar os taninos finos, elegantes e ligeiros da pinot noir. Gracioso e sofisticado a cada gole, final redondo sem nenhuma marca. Muito sofisticado!

 

Mais detalhes em:

http://www.veuve-clicquot.com/pt/champagne/la-grande-dame

http://www.vivino.com/wineries/veuve-clicquot/wines/ponsardin-la-grande-dame-champagne-brut-2004

 

Heucq Pere & Fils Champagne Brut Rosé À Cuisles

Heucq Pere & Fils Brut Rosé À Cuisles

Heucq Pere & Fils Brut Rosé À Cuisles

89. Aroma ligeiro de goiaba. Na boca é muito frutado e equilibrado. O melhor da degustação de pequenos produtores de Champagne.

 

Mais detalhes em:

http://www.champagne-heucq.com/les-cuvees-de-terroir/

http://www.vivino.com/wineries/heucq-pere-fils/wines/cuisles-brut-rose-8888

Remy Massin & Fils Champagne Brut Rosé

Remy Massin & Fils Champagne Brut Rosé

Remy Massin & Fils Champagne Brut Rosé

88. Cor salmão. Seco, estruturado e, diferente de outros rosés, não se nota nem uma ponta de tanino. Belíssimo rosé.

 

Mais detalhes em:

http://www.champagne-massin.com/en/champagnes/rosé.html

http://www.vivino.com/wineries/remy-massin-et-fils/wines/champagne-brut-ros-8888

Gaidoz-Forget Champagne Brut

Gaidoz-Forget Champagne Brut

Gaidoz-Forget Champagne Brut

88. Frutado, mas nota-se de forma bem interessante a estrutura das uvas tintas. De repente por causa disso, tem-se um amargor no final de boca.

 

Mais detalhes em:

http://www.champagne-gaidoz-forget.com/cuvees.aspx

http://www.vivino.com/wineries/gaidoz-forget-85955/wines/champagne-brut-8888

Manteau Rivierre Champagne Brut Selection

Manteau Rivierre Champagne Brut Selection

Manteau Rivierre Champagne Brut Selection

88. Perlage destacada, com vigor. Amargor suave no final do gole.

 

Mais detalhes em:

http://www.vivino.com/wineries/manteau-rivierre-142172/wines/champagne-brut-selection-8888

Dhondt-Grellet Champagne Brut Selection Blanc de Blancs Grand Cru

Dhondt-Grellet Champagne Brut Selection Blanc de Blancs Grand Cru

Dhondt-Grellet Champagne Brut Selection Blanc de Blancs Grand Cru

88. Ligeiramente amargo na garganta, aroma claro de levedura, acidez pulsante. Degustado junto a outros cinco pequenos produtores, onde foi possível perceber a sutileza que diferencia os rótulos.

 

Mais detalhes em:

http://www.vivino.com/wineries/dhondt-grellet/wines/champagne-brut-selection-blanc-de-blancs-grand-cru-8888