José Maria da Fonseca Ripanço 2013

JMF Ripanço 2013

92 pontos. Taninos redondos e aveludados, mostrando que foram cuidados com carinho. Apresenta típica sensação apoeirada de alguns vinhos portugueses. Equilibrado e volumoso.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Syrah, Aragonês, Alicante Bouschet.

Graduação Alcoólica: 14,5°

Elaboração: fermentação ocorre em cubas de inox a uma temperatura de 28ºC. Envelhecimento por 6 meses em madeira nova de carvalho francês e americano.

Harmonização: carne vermelha e queijos.

Temperatura de serviço: 16 a 18°C.

Preço: R$85,05 em Decanter (pesquisa realizada em 24/08/16).

Mais detalhes:

  • http://www.jmf.pt/index.php?id=378

 

Roquevale Reserva 2006

Roquedal Reserva 2006

92. Apimentado, sensual, com forte presença de outras especiarias. Muito equilibrado, com grande corpo e persistência. Merece cada ponto.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Tinta Caiada, Alicante Bouschet e Touriga Nacional

Elaboração: as uvas, cuidadosamente selecionadas, sofrem maceração e são vinificadas em cubas de aço inox, com remontagem automática e controle de temperatura de fermentação a 28- 30oC. A fermentação ocorre, pela adição de leveduras selecionadas, durante cerca de cinco a sete dias seguindo-se um período durante o qual ocorre a fermentação maloláctica, para estabilização do vinho. O lote estagiou 12 meses em barricas de carvalho francês. Para preservar o seu carácter, não foi sujeito a estabilização pelo frio, pelo que podem aparecer sedimentos naturais.

Harmonização: cabrito assado, vaca de confecção assada ou grelhada, borrego assado no forno, pratos de caça de pêlo, doces conventuais, queijos de pasta dura e paladar forte: Castelo Branco picante, da Ilha, Roquefort ou Gruyére.

 

Mais detalhes em:

  • http://www.roquevale.pt/v_roquevalereserva_tinto.htm
  • http://www.roquevale.pt/download_fichas_tecnicas/ft_roquevale_reserva_tinto.pdf

 

Tinto da Talha Grande Escolha 2009

Tinto da Talha Grande Escolha 2009

90. Bem equilibrado, mas com um leve toque amargo no final de boca. Se tivesse um pouco mais de complexidade seria um baita vinho. Prima mais pela harmonia do que pela sofisticação.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Touriga Nacional e Alicante Bouschet

Elaboração: para estabilização do vinho induziu-se a fermentação maloláctica que ocorreu em barricas de 225 litros de carvalho novo, francês e americano. As uvas da casta Touriga Nacional fermentaram em cuba de aço inox, com controlo de temperatura a 28-30ºC, durante 5 dias. O vinho permaneceu com as massas em “cuvaison”, a 20-24ºC, durante aproximadamente um mês, período durante o qual acabou por fazer a fermentação maloláctica. Estagiou então durante 3 meses em barricas de carvalho novo, francês e americano.

Harmonização: enchidos assados, cabidelas, assado de borrego, pézinhos de porco de coentrada, migas de pão, batata ou espargos com carne de porco frita, pratos de sabor forte, queijos de Serpa, da Serra ou Azeitão, amanteigados.

 

Mais detalhes em:

  • http://www.roquevale.pt/v_tintotalhage_tinto.htm
  • http://www.roquevale.pt/download_fichas_tecnicas/ft_tinto_talha_ge.pdf

 

Mouchão Ponte das Canas 2009

Mouchão Ponte das Canas 2009

91. Certa vez em Londres, um colega disse que tinha um “sweet teeth”, expressão inglesa para aqueles que gostam de uma guloseima. De repente é por isso que este Ponte das Canas me agradou tanto. Sua doçura é muitíssimo agradável, em harmonia com o álcool, caninos e acidez. Um belíssimo vinho.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Alicante Bouschet, Touriga Nacional, Touriga Franca e Syrah

Elaboração: este vinho é a última criação da Herdade do Mouchão e resulta de um lote de uvas seleccionadas de Alicante Bouschet, Touriga Nacional, Touriga Franca e Syrah. Depois da fermentação em lagares, com tradicional pisa a pés, o vinho é trasfegado para barricas novas de carvalho francês de 300 litros onde estagia por um período mínimo de 12 meses. Após o seu engarrafamento estagia durante 12 meses em ambiente climatizada antes de ser lançado.

 

Mais detalhes em:

  • http://mouchao.pt/pt/pontedascanas

 

Mouchão Dom Rafael Tinto 2010

Mouchão Dom Rafael Tinto 2010

89. Taninos presentes de forma suave, mas marcando um pouco no final de boca. Pouco aveludado, se mostrando um vinho mais rústico. Não chega a ser grosseiro, mas não possui a mesma elegância e maciez do irmão Ponte das Canas.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Alicante Bouschet, Trincadeira e Aragonês

Elaboração: este é o vinho tinto engarrafado mais jovem da Herdade do Mouchão. Lançado pela primeira vez em 1990, ostenta o nome de um dos primeiros Reynolds à frente da herdade. É um vinho desenhado a partir das castas Alicante Bouschet, Trincadeira, e Aragonez. Vinificado nos tradicionais lagares da adega estagia em tonéis de carvalho português de 5.000 litros e em barricas de carvalho francês durante um período mínimo de 12 meses. Um estágio adicional de 6  meses em garrafa, garante o seu equilíbrio ideal antes de ser lançado no mercado.

 

Mais detalhes em:

  • http://mouchao.pt/pt/domrafael_tinto

 

Cartuxa Reserva Tinto 2009

Cartuxa Reserva Tinto 200991. Já havia degustado o Cartuxa Colheita, irmão mais novo deste aqui, mas não chegou a arrancar os mesmos suspiros. Este Reserva mostra maior maturidade e muito mais equilíbrio. Não chega a ser um senhor de idade, envelhecido, pois sua acidez transmite grande frescor e jovialidade. O diferencial fica pelos aromas que saltam da taça para as narinas quase como uma coreografia. Vinho supimpa!

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Alicante Bouschet e Aragonez

Graduação Alcoólica: 14,5%

Elaboração: produzido a partir de castas criteriosamente selecionadas, Alicante Bouschet e Aragonez, plantadas nas vinhas mais velhas da Fundação Eugénio de Almeida. Quando as uvas atingem o estado de maturação ideal são colhidas e transportadas para a adega, onde se inicia o processo tecnológico com desengace total e ligeiro esmagamento. Em seguida, as uvas são fermentadas separadamente, em cubas de inox e balseiros de carvalho francês, à temperatura de 27oC, a que se segue maceração de 15 dias. Estagiou durante 15 meses em barricas novas de carvalho francês e 12 meses em garrafa.

Serviço: 16 a 18oC

 

Mais detalhes em:

  • http://www.cartuxa.pt/pt/product/3/18#
  • http://www.cartuxa.pt/app_files/cartuxa_tinto_reserva_2011_pt.pdf

 

 

Cartuxa Branco 2011

Cartuxa Branco

93. Ahhh Eugênio de Almeida. Que vinícola! Uma surpreendente capacidade de fazer bons vinhos. Muita estrutura, complexidade que dá banho em muitos tintos. Uma pitada de acidez torna a experiência refrescante, compensando os sabores mais maduros e sérios que vão se desdobrando aos poucos. Cada gole rende uma eternidade de sabores , intensos e persistentes. As camadas de sabor, presentes apenas nos vinhos tops, são facilmente identificadas.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Antão Vaz e Arinto

Graduação Alcoólica: 13%

Elaboração: quando as uvas atingem o estado de maturação ideal, são colhidas e transportadas para a adega, onde se inicia o processo tecnológico com desengace total e ligeiro esmagamento. Em seguida as uvas são fermentadas em cubas de inox, à temperatura controlada de 16oC. Segue-se estágio sobre borras finas durante doze meses com bâtonnage regular.

Serviço: 10 a 12oC

 

Mais detalhes em:

  • http://www.cartuxa.pt/pt/product/3/18#cartuxa

 

Cortes de Cima Hans Christian Andersen 2010

Cortes de Cima Hans Christian Andersen 2010

91. Picante, sedutor, exótico. Estou desenvolvendo um especial apreço pela Syrah, que traz as especiarias, os condimentos, os aromas picantes e sensuais. Muito equilibrado, intenso e persistente. Um baita vinho. Ganhava mais um pontinho de o Sr. Hans Christian não fosse tão feio (rsrs).

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Syrah

Graduação Alcoólica: 14%

Elaboração: produzido exclusivamente a partir da casta Syrah. As uvas foram rigorosamente selecionadas, colhidas apenas aquelas que estavam em um ótimo estado de maturação. Foram fermentadas sem engaço, a temperaturas controladas, e regulares remontagens, com um amplo período de maceração das películas para melhorar o aroma de frutos e conseguir um bom equilíbrio e estrutura de taninos.

Amadurecimento: 8 meses em carvalho francês e americano.

 

Mais detalhes em:

  • http://cortesdecima.com/pt/shop/avin5643201457638/
  • http://www.cortesdecima.com/downloads/Wine/2010-HCA-Nota%20de%20Vindima.pdf

 

Cortes de Cima Touriga Nacional 2007

Cortes de Cima Touriga Nacional 2007

86. Bom vinho, mas particularmente acho que a Touriga Nacional não funciona bem sozinha. O resultado é um vinho confuso, empoeirado, pouco harmônico e equilibrado.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Touriga Nacional

Graduação Alcoólica: 14%

Elaboração: este vinho foi produzido exclusivamente a partir da casta Touriga Nacional. As uvas foram rigorosamente seleccionadas pelo que estavam em um ótimo estado de maturação. Foram fermentadas sem engaço, a temperaturas controladas, com regulares remontagens e posterior período de maceração das películas, o que realçou as características frutadas desta casta e forneceu estrutura taninosa e equilíbrio. O vinho foi envelhecido durante 8 meses em barricas carvalho francês até altura do engarrafamento com filtração e sem colagem.

Amadurecimento: 8 meses em carvalho Francês (100%).

 

Mais detalhes em:

  • http://cortesdecima.com/pt/shop/avin8349817491031/
  • http://www.cortesdecima.com/downloads/Wine/2007-TOURIGA%20NACIONAL-Nota%20de%20Vindima.pdf

 

Cortes de Cima Chaminé 2012

Cortes de Cima Chaminé 2012

87. Jovem, com algum frescor, provavelmente devido à acidez que se apresenta de forma tímida. Mesmo assim é bem equilibrado. Um pequeno amargor no final de boca faz com que perca alguns pontos.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Aragonez, Syrah, Touriga Nacional

Graduação Alcoólica: 13,5%

Elaboração: elaborado a partir da fruta bem madura. Fermentado sem engaço, a temperaturas controladas com frequentes remontagens. Estagiou em cubas de inox antes do ser engarrafado, sem colagem e com filtração. É um vinho maduro e fácil de beber, que é engarrafado cedo, geralmente seis meses depois da vindima e sem qualquer estágio em madeira. É melhor se bebido jovem, mas melhora com um curto período na garrafeira.

 

Mais detalhes em:

  • http://cortesdecima.com/pt/shop/avin5148108703418/
  • http://www.cortesdecima.com/downloads/Wine/2012-CHAMINE-Nota%20de%20Vindima.pdf

 

Adega de Borba Cinquentenário Grande Escolha 2003

Adega de Borba Cinquentenario 2003

92. Tão aveludado como carinho de mãe, como um abraço fraterno. Aromas de frutas do bosque e azeitonas pretas. Na boca é muito equilibrado, com excelente acidez, gerando frescor e alegria.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon e Syrah

Graduação Alcoólica: 14%

Elaboração: estagiou 12 meses em barricas novas de carvalho francês e americano e 24 meses em garrafa na cave. Produzido em memória aos 50 anos de existência da vinícola, elaborado com base na escolha dos melhores vinhos produzidos na colheita, para a comemoração da ocasião.

 

Mais detalhes em:

  • http://www.adegaborba.pt
  • http://www.alentejana.com.br/produto.php?c=529

 

Adega de Borba Rótulo Cortiça Reserva Tinto 2011

Adega de Borba Reserva 2011

87. Apesar de equilibrado, faltou alguma coisa. Pouco aveludado, faltou elegância. Faltou aspecto rústico também. Faltou personalidade e tipicidade. Um vinho camponês, cru.

País / Região: Portugal / Alentejo

Castas: Aragonez, Trincadeira, Castelão e Alicante Bouschet

Graduação Alcoólica: 13,5%

Elaboração: provenientes de vinhas velhas, as uvas tiveram um rigoroso controlo na evolução da maturação, tendo sido vindimadas em pequenas quantidades. Na Adega após o desengace e esmagamento suave da uva, iniciou-se a fermentação alcoólica que se prolongou por cerca de 10-15 dias com a temperatura controlada a 24ºC, para maior extração dos aromas e sabores frutados da uva. Para aumentar a complexidade polifenólica, os taninos e a estrutura do vinho, este permaneceu em cuba num processo de maceração pós-fermentativa. A fermentação malolática ocorreu posteriormente em recipientes de inox. Para enaltecer e elevar as suas características organoléticas, o vinho estagiou 12 meses em barricas de 3º e 4º ano, de carvalho francês e em tonéis de madeira exótica, findo o qual se seguiu um estágio de 6 meses em garrafa em cave.

Serviço: 16-17ºC.

Guarda: pode ser consumido de imediato, de preferência, poderá também deixá-lo estagiar por até 10 anos.

 

Mais detalhes em:

  • http://www.adegaborba.pt/vinhos/rotulo-cortica/tinto

 

Santa Vitoria Vinho Regional Alentejano Touriga Nacional Tinto 2009

Santa Vitoria Vinho Regional Alentejano Touriga Nacional Tinto 2009 Portugal

88. Perceptível a característica turva devido a falta de filtração. Bem equilibrado apesar de marcar na garganta. Com o aumento da temperatura começou a descer melhor. No nariz apresenta ameixa e carvalho.

Região/Denominação: Alentejo

Uvas: Touriga Nacional

Graduação Alcoólica: 14%

Vinificação: vindima manual e seleção das melhores uvas na adega. Maceração a frio durante 2 dias e fermentação alcoólica a 26oC em lagares. A fermentação malolática foi feita em barricas novas de carvalho francês, onde estagiou mais 14 meses.

Harmonização: carnes vermelhas, borrego, caça, peixe assado, bacalhau regado em azeite e queijos.

 

Mais detalhes em:

  • http://www.vivino.com/wineries/santa-vitoria/wines/vinho-regional-alentejano-touriga-nacional-tinto-2009
  • http://www.santavitoria.pt/pt/produtos/vinhos/casa-santa-vitoria-touriga-nacional.html
  • http://www.santavitoria.pt/dynamic-media/ckeditor/Touriga_Nacional_2009.pdf

Monte d’Ervideira Private Selection Vinho Tinto 2009

Monte d'Ervideira Private Selection Vinho Tinto 2009

Visual de senhor maduro. Conteúdo de adolescente. Rubi com reflexos granado muito bonito. Na boca a acidez se mostra desequilibrado, mas com a oxidação ele começou a espetar menos. Aromas de carvalho e frutas vermelhas marcantes, com aquela agradável sensação de eucalipto refrescando o nariz.

Vila Vita Alentejano White 2012

Vila Vita Alentejano White 2012

Bonita cor palha escura, já de um vinho mais maduro apesar de ser de 2012. Notas de baunilha, abacaxi, maçã. Acidez equilibrada e maciez um pouco comprometida. Possui uma untuosidade um pouco desagradável, mas nada que comprometa muito.

Vila Vita Alentejano Red 2011

GE DIGITAL CAMERA

Vermelho escuro, mostrando sua jovialidade. Aromas de framboesa, cereja e café. Esperava mais carvalho, de repente os 9 meses foram passados em barricas antigas. Vinho novo, merecendo descansar na adega por uns dois anos. Álcool equilibrado junto a acidez. Taninos sobram um pouco, podendo amaciar com os anos.

Cartuxa Évora Colheita 2010

Cartuxa Évora Colheita 2010

Aroma de frutas maduras, um pouco de damasco. Taninos perfeitamente maduros, super equilibrado, estrutura média, curto e com álcool na medida. Um excelente vinho. Preço padrão apesar de caro.